Por que dezembro é a última oportunidade para comprar um carro elétrico?

Carros elétricos e híbridos ficarão mais caros a partir de janeiro.

Carro elétrico chines.
O BYD Seal é o mais recém-lançamento chines no Brasil, sendo um sedan elétrico de luxo, por menos de 300 mil. Foto: Divulgação

O mercado automobilístico brasileiro enfrentará um aumento no preço dos carros elétricos e híbridos a partir de janeiro. Essa mudança ocorrerá devido à decisão do Comitê Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior (Gecex-Camex), órgão vinculado ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), de reintroduzir gradualmente o imposto de importação para veículos eletrificados a partir de 2024.

Essa medida terá um impacto direto nos consumidores brasileiros, uma vez que atualmente existem poucos modelos híbridos e nenhum carro elétrico sendo fabricado no país. Com a reintrodução do imposto, a tecnologia ficará mais cara para os consumidores interessados em adquirir esses veículos.

Para os carros híbridos, as alíquotas de imposto serão progressivas: 12% em janeiro de 2024, 25% em julho de 2024, 30% em julho de 2025 e atingindo 35% em julho de 2026. Já para os híbridos plug-in, as alíquotas serão de 12% em janeiro de 2024, 20% em julho de 2024, 28% em julho de 2025 e também alcançando 35% em julho de 2026.

Quanto aos carros elétricos, as alíquotas serão de 10% (janeiro de 2024), 18% (julho de 2024), 25% (julho de 2025) e 35% (julho de 2026).

Imposto para elétricos.
Caso a GWM repasse o imposto para o consumidor final, o carro que custa R$ 315 mil, pode subir para quase 400 mil.

Além disso, existe uma quarta categoria que engloba os veículos elétricos para transporte de carga, como caminhões elétricos. Esses terão uma taxa de importação de 20% em janeiro, que aumentará para 35% já em julho de 2024. Segundo o MDIC, a rapidez na retomada da alíquota cheia nesse caso se dá pela existência de uma produção nacional suficiente.

Com esse aumento no preço dos carros elétricos e híbridos, especialistas alertam para a possibilidade de desestimular a adoção dessa tecnologia mais sustentável no país. Além disso, essa medida pode dificultar o cumprimento das metas de redução de emissões de gases poluentes estabelecidas pelo Acordo de Paris, do qual o Brasil é signatário.

Diante desse cenário, é importante que os consumidores interessados em adquirir um carro elétrico ou híbrido considerem antecipar suas compras antes do início do aumento dos preços. A busca por alternativas mais sustentáveis e econômicas deve ser incentivada tanto pelos consumidores quanto pelas autoridades governamentais, a fim de promover um futuro mais limpo e sustentável para o setor automobilístico brasileiro.

Referência: UOL

Avalie esse artigo

Gabriel May Oechsler
Redator online do portal Agora Motor, tem 21 anos e está sempre antenado no universo automobilístico, gosta de esportes, jogos e notícias automotivas. Iniciou sua jornada no site Agora Motor em 2022, trabalhando com pesquisas extensas e escritas de artigos e notícias sobre carros, motos, etc.
Posts relacionados
Notícias Yamaha Ténéré 700 estará no Brasil em Agosto, mas não para venda

A Yamaha Ténéré 700 está gerando grande expectativa no Brasil. Confirmada pela Yamaha em junho,…

Gabriel May Oechsler
Notícias Stellantis irá enfrentar batalha acirrada com marcas chinesas na Europa

O CEO da Stellantis, Carlos Tavares, afirmou que a empresa enfrentará uma “concorrência brutal” dos…

Gabriel May Oechsler
Notícias Carros chineses podem ser taxados em 200% com o Trump no poder

O ex-presidente dos EUA e candidato nas próximas eleições de novembro, Donald Trump, anunciou uma…

Gabriel May Oechsler
Notícias Chevrolet Equinox tem informações reveladas no site!

A Chevrolet causou grande impacto no mercado no ano passado com diversos lançamentos. Em breve,…

Gabriel May Oechsler
Notícias Novo Honda Civic SI 2025 é lançado nos EUA, veja detalhes!

A Honda revelou nos EUA o novo Civic Si 2025, agora mais equipado e divertido…

Gabriel May Oechsler
Deixe seu comentário